50Se você ama animais, principalmente gatos, precisa estar ciente das principais doenças que os acometem. A Felv ou leucemia felina é uma delas.

É importante entender as causas da doença e proteger seu animal dela, afinal, ela não tem cura e é transmitida de gato para gato.

Felv é a sigla para Feline Leukimia Virus e é muito contagiosa entre gatos, sendo que esta doença não afeta os seres humanos, cães ou outras espécies de animais.

O contágio por Felv entre gatos ocorre através da saliva, fezes ou urina de um animal infectado. Ela é muito contagiosa, pois é na saliva que está a maior presença do vírus. Como é muito comum os gatos se higienizarem entre si, a transmissão do vírus é muito fácil.

Outra forma de contágio é através da placenta da mãe infectada ou mesmo através da amamentação. Entretanto, é muito comum ocorrer o aborto de filhotes de mães infectadas com o vírus.

Cerca de 85% dos gatos infectados com Felv morrem após 3 anos de seu diagnóstico. A morte se dá por sintomas secundários. Isso acontece porque a Felv diminui o sistema imunológico dos gatos, fazendo com que qualquer infecção possa ser fatal. É o que acontece com o HIV em humanos.

As chances de infecção são maiores em filhotes, pois eles não têm seu sistema imunológico formado.

Sintomas da Felv

Os sintomas nem sempre são visíveis. Alguns felinos possuem um sistema imunológico bem fortalecido, fazendo com que mesmo infectados, a doença não apresente os sintomas. Cerca de 50% dos gatos infectados com Felv não demonstram os sintomas da doença.

Entretanto, os outros 50% sofrem com os sintomas do vírus, que incluem anemia, emagrecimento excessivo, febre, diarreia, dificuldade para respirar e principalmente a baixa do sistema imunológico, que acarretará outras doenças.

Diagnóstico

Um exame para detectar se o animal possui a Felv custa em torno de R$ 60,00 e é feito diretamente em laboratórios de veterinárias.

Os dois principais exames realizados são PCR e teste de triagem ELISA.

Como sabemos que esta é uma doença altamente infecciosa, a principal forma de prevenção é manter os gatos afastados de outros que estejam contaminados com a Felv.

Isso é mais fácil de fazer quando o gato não costuma sair de casa, mas isso nem sempre é possível. Neste caso, existem vacinas que podem prevenir a doença, como é o caso da vacina quíntupla Zoetis, indicada para animais sadios. O termo quíntuplo significa que ela previne 5 doenças: Rinotraqueíte, Calicivirose, Panleucopenia, Leucemia felina (Felv) e Chlamydia Psittaci.

Tratamento

Mesmo não tendo cura, é importante tratar a doença e jamais condenar os animais à morte, como alguns fazem.

O tratamento objetiva melhorar a qualidade de vida do felino e minimizar os sintomas da doença.

Isso pode ser feito com certos tipos de medicamentos, como as drogas antivirais.

O tratamento inclui ainda a correta higienização e o isolamento do animal, para evitar novos contágios.

Por ser um tipo de leucemia, em alguns casos o tratamento pode utilizar quimioterapia ou até mesmo transfusão de sangue.

É importante ter um cuidado especial na dieta de animais infectados com a Felv. Como existe uma baixa no sistema imunológico do felino, é preciso haver a reposição dos nutrientes. Quando você utiliza alimentos humanos ou ração de baixa qualidade, estes nutrientes não são repostos. Utilize apenas ração de qualidade.

Tipos de Felv

  • A Felv regressiva: acomete 30% dos felinos com Felv e é também chamada de viremia transitória. Nela, os animais são portadores do vírus (isso é identificado por meio de exames) mas o vírus é eliminado pelo próprio organismo;
  • A Felv progressiva: também chamada de viremia persistente. É o mais grave da doença, pois o sistema imunológico do gato está completamente exposto;
  • Latência: é quando a doença sai da corrente sanguínea do animal e vai para a sua medula óssea. Com isso, os exames não detectam a doença, que permanece no animal. Os sintomas da Felv continuarão a prejudicar o organismo do gato.

Conclusão

Agora que você já sabe como funciona a FELV pode manter seus gatos longe da zona de risco.

Por ser uma doença de transmissão muito fácil, a prevenção pode ser um pouco complicada, mas é importante manter todas as vacinações em dia.