Sim, é possível adestrar seu gato e quanto mais novo, melhor! Mas antes de tudo, você precisa saber que gatos só costumam prestar atenção no que lhes interesse e essa atenção não dura muito mais do que 5 minutos. Ou seja, nenhum adestramento que demore horas será eficiente.

Além disso, é verdade que eles são animais independentes, nenhum treinamento que prejudique essa liberdade será visto com bons olhos, eles precisam entender que um bom comportamento tem uma boa recompensa: carinho ou comida.

Temos algumas dicas para você começar a educa-lo:

  1. O momento certo: uma ou duas horas antes das refeições pode ser um ótimo período para começar o adestramento, pois a associação entre um bom comportamento e os petiscos como recompensa pode acelerar o processo de aprendizado. Não esqueça, sempre elogie e faça carinho no animal quando ele acertar algum chamado. Isso garante que ele se mantenha focado na atividade. Quanto mais rápido ele receber a recompensa, mais fácil será toda a associação. E não adianta nada querer iniciar a adestração na hora em que ele estiver brincando ou de olho em alguma presa, isso só vai irritá-lo. Escolha sempre o momento mais relaxado dele. 
  1. Crie alvos, gestos ou clicker: já deve ter visto alguma vez em algum vídeo pela internet uma varinha com algum objeto pendurado, isso é um tipo de alvo. Você ensina o gato a segui-lo para ir onde você deseja. Gestos também são uteis, por exemplo, ficar apontando para o sofá se você quer que ele suba. Os clickers são como um comando de permissão, podem ser buzinas, apitos, etc. Mas nada que incomode o animal. 
  1. Repetição: já que a atenção do felino a alguma atividade não dura muito, a repetição constante é muito importante no adestramento. Só com uma rotina, ele vai conseguir absorver as regras. 
  1. Um comando por vez: paciência! Não adianta querer ensinar todas as técnicas e comandos em um dia só. O bichinho precisa de tempo para praticar, treinar e aprimorar os exercícios. 
  1. Restrinja o espaço do animal: diminua o espaço do pet e aumente o seu espaço de atividade. Quando o espaço dele é restrito, toda vez que um comando de chamada como “vem aqui” é feito, ele fica associado a algo bom e prazeroso. Outro exemplo é: se o gato está no colo recebendo carinho, ele vai entender que isso é bom. No caso dele subir na mesa e ouvir um “não”, vai sinalizar um comportamento negativo. Escolha o menor cômodo da casa para começar o treinamento, porque se ele ocorrer em um local muito amplo, é provável que o animal se distrai com outras coisas e não foque no que realmente importa. 
  1. Recompensa: sim, a recompensa é necessária no adestramento dos gatos, as técnicas precisam estar baseadas no estímulo positivo. 
  1. Como fazer as necessidades no lugar certo: se você leva-lo algumas vezes para fazer suas necessidades na caixinha de areia, ele logo vai aprender que lá é o lugar certo. Mas atenção, é preciso manter a caixa limpa, senão ele vai evitar usá-la. 
  1. Não é não: se desde filhote, ele aprender a palavra não e se ela sempre for usada quando ele estiver fazendo algo errado, ele vai entender que morder, arranhar ou subir em lugares proibidos não é legal. 
  1. Sons e seu nome: emitir sons diferentes enquanto o chama pelo nome é interessante para que ele saiba que é o dono dele que está chamando. Os gatos, como os cães, não entendem palavras, no entanto, podem reconhece-las e compreender o tom de voz utilizado para a pronúncia de cada uma delas. 
  1. Nunca agrida seu bichinho: isso pode traumatizar o animal e ele realmente não vai aprender a ser disciplinado por meio da violência. No caso dos gatos, você corre o risco de ser mordido e arranhado.

 O que pode acontecer se o adestramento for baseado na violência e em punições?

Os riscos são muitos, então fique atento para não cometer esse erro:

Efeito inverso:

A punição pode promover ansiedade, traumas e incentivar as atitudes negativas. Não, a violência nunca vai ajudar na cooperação do animal no processo de adestramento.

Agressividade:

O aumento da agressividade pode ser um fator de efeito após os castigos.

Rompimento do vínculo:

Você não vai querer perder a ligação de afeto entre você e seu pet, não é mesmo? Pois então, preste atenção para suas técnicas de ensino. Se você está punindo o bichinho e não agradando, é provável que esse rompimento ocorra.

 Já aprendeu todas as dicas? Teste com seu felino e continue acompanhando o blog para entender melhor seus pets!

Referências Bibliográficas:
http://www.cachorrogato.com.br/gato/treinar-felino/
http://www.cachorrogato.com.br/gato/adestrar-gatos/
https://www.paixaoporgatos.com/como-adestrar-um-gato/
http://blog.areiadegato.com.br/aprenda-como-adestrar-gatos-sem-estresse/